Mira Schendel

BIOGRAFIA

Myrrha Dagmar Dub (Zurique, Suíça 1919 – São Paulo SP 1988). Desenhista, pintora, escultora. Muda-se para Milão, Itália, na década de 1930, onde estuda arte e filosofia. Abandona os estudos durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Estabelece-se em Roma em 1946, e, em 1949, obtém permissão para mudar-se para o Brasil. Fixa residência em Porto Alegre, onde trabalha com design gráfico, faz pintura, escultura de cerâmica, poemas e restauro de imagens barrocas, assinando com seu nome de casada Mirra Hargesheimer. Sua participação na 1ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, permite contato com experiências internacionais e a inserção na cena nacional. Dois anos depois muda-se para São Paulo e adota o sobrenome Schendel. Na década de 1960 realiza desenhos em papel de arroz. Em 1966, cria a série Droguinhas, elaborada com papel de arroz retorcido e trançado, que é apresentada em Londres, na Galeria Signals, por indicação do crítico de arte Guy Brett (1942). Nesse ano, passa por Milão, Veneza, Lisboa e Sttutgart. Conhece o filósofo e semiólogo Max Bense (1910 – 1990), que contribui para a realização de sua exposição em Nurembergue, Alemanha, e é autor do texto do catálogo. Em 1968 começa a produzir obras utilizando o acrílico, como Objetos Gráficos e Toquinhos. Entre 1970 e 1971, realiza um conjunto de 150 cadernos, desdobrados em várias séries. Na década de 1980, produz as têmperas brancas e negras, os Sarrafos e inicia uma série de quadros com pó de tijolo. Após sua morte, muitas exposições apresentam sua obra dentro e fora do Brasil e, em 1994, a 22ª Bienal Internacional de São Paulo lhe dedica uma sala especial. Em 1997, o marchand Paulo Figueiredo doa grande número de obras da artista ao Museu de Arte Moderna de São Paulo – MAM/SP.

NASCIMENTO / MORTE

1919 – Zurique (Suíça) – 7 de junho
1988 – São Paulo SP – 24 de julho

FORMAÇÃO

ca.1936 – Milão (Itália) – Freqüenta escola de arte.
1938/1940 – Milão (Itália) – Curso de filosofia na Universidade Católica.

Mira Schendel – Sem Título – Têmpera sobre tela e folha de ouro – 35 x 23 cm – 1981

CRONOLOGIA

Pintora, desenhista

  • déc. de 1930 – Milão (Itália) – Vive nessa cidade
  • 1941 – Sófia (Bulgária) – Vive nessa cidade
  • 1946/1949 – Roma (Itália) – Vive nessa cidade
  • 1949/1953 – Porto Alegre RS – Vive nessa cidade
  • 1949 – Porto Alegre RS – Começa a pintar e fazer escultura em cerâmica. Dá aulas de pintura e de orientação artística
  • 1949 – Porto Alegre RS – Escreve e publica poesias e estuda filosofia por conta própria
  • 1953 – Porto Alegre RS – Trabalha na Tipografia Mercantil como desenhista na seção de serigrafia e fazendo croquis para cartazes
  • 1953/1988 – São Paulo SP – Muda-se para São Paulo
  • 1960 – São Paulo SP – Passa a manter contato com o escultor Sérgio de Camargo (1930 – 1990)
  • 1960/1964 – São Paulo SP – Faz projetos de capas de livros para a Editora Herder
  • 1962/1964 – São Paulo SP – Realiza Bordados, primeiros trabalhos em papel de arroz, feitos com ecoline
  • 1964/1966 – São Paulo SP – Realiza mais de 2 mil desenhos com a técnica da monotipia em papel de arroz, divididas em subgrupos apelidados de “linhas”, “arquiteturas” (linhas em forma de u), “letras” (alfabeto e símbolos matemáticos) e “escritas” (em várias línguas), posteriormente trabalhando também com signos (sinais de pontuação, entre outros) em letraset
  • 1966 – São Paulo SP – Realiza a série Droguinhas, com papel de arroz amassado, torcido em cordão e depois tramado em nós, amontoado ou pendurado formando redes, bolas e tranças. Realiza também Trenzinhos, série de folhas do mesmo papel, penduradas em fila em um “varal”
  • 1966 – Europa – Viaja por vários países. Retorna a Zurique e a Milão, onde conhece o escritor Umberto Eco. Em Sttutgart conhece o filosófo Max Bense (1910 – 1990), com quem mantém correspondência até 1975
  • 1968 – São Paulo SP – Começa a produzir obras utilizando o acrílico – Objetos Gráficos e Toquinhos
  • 1968/1973 – Interessada em psicologia e psicanálise, mantém correspondência com o filósofo Jean Gebser
  • 1970/1971 – São Paulo SP – Realiza conjunto de 150 cadernos, desdobrados em várias séries
  • 1971 – São Paulo SP – Faz experiências com litografia e realiza a série das Fórmicas
  • 1973 – São Paulo SP – Prêmio APCA de melhor objeto 1972
  • 1975/1977 – Europa – Em suas viagens, mantém contato com o filosófo Hermann Schmitz, da Universidade de Kiel, Alemanha.
  • 1978/1987 – São Paulo SP – Produz as têmperas brancas e negras, os Sarrafos e inicia uma série de quadros feitos com pó de tijolo.

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

  • 1950 – Porto Alegre RS – Individual, no Correio do Povo
  • 1952 – Porto Alegre RS – Individual, no Ibeu
  • 1954 – São Paulo SP – Mira: pinturas, no MAM/SP
  • 1960 – Rio de Janeiro RJ – Mira: cartões de natal, na Adorno Decorações e Presentes
  • 1962 – São Paulo SP – Individual, na Galeria Selearte
  • 1963 – São Paulo SP – Mira Schendel: pinturas, na Galeria São Luís
  • 1964 – Campinas SP – Mira: pinturas, na Galeria Aremar
  • 1964 – São Paulo SP – Mira Schendel: óleos e desenhos, na Galeria Astréia
  • 1965 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Petite Galerie
  • 1966 – Lisboa (Portugal) – Individual, na Galeria Bucholz
  • 1966 – Londres (Inglaterra) – Individual, na Signals Gallery
  • 1966 – Rio de Janeiro RJ – Individual, no MAM/RJ
  • 1967 – Stuttgart (Alemanha) – Individual, no Technische Hochschule
  • 1968 – Londres (Reino Unido) – Lisson 68, no Lisson Gallery
  • 1968 – Oslo (Noruega) – Individual, na Gramholt Galleri
  • 1968 – Viena (Áustria) – Individual, na St. Stephan Gallerie
  • 1969 – Graz (Áustria) – Individual, na Gallerie bei Minoritensaal
  • 1972 – São Paulo SP – Através, na Galeria Ralph Camargo
  • 1973 – Washington (Estados Unidos) – The Avant-Garde Works by Mira Schendel, na Art Gallery of The Brazilian -American Cultural Institute
  • 1974 – Nuremberg (Alemanha) – Mira Schendel. visuelle konstruktinen und transparente texte, na Schmidtbank -Galerie, Institut für Moderne
  • 1975 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Luiz Buarque de Holanda/Paulo Bittencourt
  • 1975 – São Paulo SP – Mira Schendel: desenhos de 1974/75: datiloscritos, mandalas, paisagens, no Gabinete de Artes Gráficas
  • 1975 – Stuttgart (Alemanha) – Mira Schendel. Visuelle Konstruktinen und Transparente Texte, na Studiengalerie, Uni Stuttgart
  • 1978 – São Paulo SP – Mira Schendel: desenhos, no Gabinete de Artes Gráficas
  • 1980 – São Paulo SP – Mira Schendel: desenhos, na Galeria Cosme Velho
  • 1981 – São Paulo SP – Mira Schendel, na Galeria Luisa Strina
  • 1982 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria GB
  • 1982 – São Paulo SP – Individual, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte
  • 1983 – Rio de Janeiro RJ – Mira Schendel, 65 Desenhos, 2 Droguinhas, 1 Trenzinho, 1 Quadro de 1964 e a Série Deus-Pai do Ocidente, na Galeria Thomas Cohn
  • 1983 – São Paulo SP – Individual, na Galeria Luisa Strina
  • 1984 – São Paulo SP – Individual, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte
  • 1985 – São Paulo SP – Mira Schendel: Coleção Theon Spanudis, no MAC/USP
  • 1985 – São Paulo SP – Mira Schendel: pinturas recentes, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte
  • 1986 – Niterói RJ – Mira Schendel: pinturas recentes, na Galeria de Arte da UFF
  • 1986 – Porto Alegre RS – Mira Schendel: pinturas recentes, na Galeria Tina Zappoli
  • 1987 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Thomas Cohn
  • 1987 – São Paulo SP – Mira Schendel: obras recentes, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte
  • 1987 – São Paulo SP – Mira Schendel: obras recentes, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
  • 1987 – Vitória ES – Individual, na Galeria Usina Arte

EXPOSIÇÕES COLETIVAS

  • 1951 – Salvador BA – 1º Salão Universitário Baiano de Belas Artes – medalha de ouro
  • 1951 – São Paulo SP – 1ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão do Trianon
  • 1952 – Santa Maria RS – 1ª Exposição de Arte Moderna – primeiro prêmio
  • 1953 – Bento Gonçalves RS – 1º Festival de Arte e Música de Bento Gonçalves, no Salão Nobre da Prefeitura Municipal – menção honrosa
  • 1955 – São Paulo SP – 3ª Bienal Internacional de São Paulo, no MAM/SP
  • 1962 – São Paulo SP – 11º Salão Paulista de Arte Moderna
  • 1962 – São Paulo SP – Seleção de Obras de Arte Brasileira da Coleção Ernesto Wolf, no MAM/SP
  • 1963 – São Paulo SP – 7ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
  • 1964 – Córdoba (Argentina) – 2ª Bienal Americana de Arte
  • 1965 – Lisboa (Portugal) – Exposição de Desenho e Gravura, na Sociedade Nacional de Belas Artes
  • 1965 – Londres (Inglaterra) – Soundings Two Exhibit, na Signals London Gallery
  • 1965 – São Paulo SP – 8ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
  • 1965 – São Paulo SP – Propostas 65, na Faap
  • 1965 – Windsor (Inglaterra) – Selection from Soundings Two, na Eton College Art School
  • 1966 – Madri (Espanha) – Três Pintores Brasileños
  • 1966 – São Paulo SP – Três Premissas, no MAB/SP
  • 1967 – Campinas SP – 3º Salão de Arte Contemporânea de Campinas
  • 1967 – São Paulo SP – 9ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal – prêmio aquisição
  • 1968 – Londres (Inglaterra) – Lisson 68, na Lisson Gallery
  • 1968 – Punta del Este (Paraguai) – Três Artistas Brasileiros
  • 1968 – Veneza (Itália) – 34ª Bienal de Veneza
  • 1969 – São Paulo SP – 10ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal – menção honrosa
  • 1969 – São Paulo SP – 1º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1971 – Nova Délhi (Índia) – 2ª Trienal Internacional de Arte Moderna de Nova Délhi, na Lalit Kala Akademi – medalha de ouro
  • 1971 – São Paulo SP – 3º Panorama da Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1971 – São Paulo SP – Amélia Amorim Toledo/Donato Ferrari/Mira Schendel, no MAC/USP
  • 1974 – Bergen (Noruega) – Gromholtz-Samling-Billedgalleri’s Festpillutstilling
  • 1974 – Campinas SP – 9º Salão de Arte Contemporânea de Campinas – Desenho Brasileiro 74, no MACC
  • 1974 – São Paulo SP – 6º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1974 – São Paulo SP – Poesia Visual, no Museu Lasar Segall
  • 1975 – Rio de Janeiro RJ – A Comunicação Segundo os Artistas Plásticos
  • 1976 – Bolonha (Itália) – Arte Fiera 76
  • 1976 – Cali (Colômbia) – 3ª Bienal Americana de Artes Gráficas
  • 1976 – Campinas SP – 10º Salão de Arte Contemporânea de Campinas, no MACC
  • 1976 – São Paulo SP – Arte Brasileira: figuras e movimentos, na Galeria Arte Global
  • 1976 – Veneza (Itália) – Tra Linguaggio e Immagine: il canale
  • 1977 – São Paulo SP – 9º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1977 – Washington (Estados Unidos) – Recents Latin American Drawings 1969-1976: lines of vision international exhibition foundation
  • 1978 – Rio de Janeiro RJ – 3ª Arte Agora América Latina, Geometria Sensível, no MAM/RJ
  • 1978 – São Paulo SP – O Objeto na Arte: Brasil anos 60, no MAB/Faap
  • 1978 – Veneza (Itália) – 39ª Bienal de Veneza
  • 1979 – Rio de Janeiro RJ – Arte Brasileira, no Banco Lar Brasileiro
  • 1979 – São Paulo SP – 11º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1979 – São Paulo SP – Coleção Theon Spanudis, no MAC/USP
  • 1979 – São Paulo SP – Desenhos e Pinturas de Mira Schendel, Tomoshige Kusuno, Marcelo Villares, na Nova Acrópole
  • 1980 – Rio de Janeiro RJ – Homenagem a Mário Pedrosa, na Galeria Jean Boghici
  • 1981 – Cali (Colômbia) – 4ª Bienal de Artes Gráficas
  • 1981 – Rio de Janeiro RJ – Do Moderno ao Contemporâneo: Coleção Gilberto Chateaubriand, no MAM/RJ
  • 1981 – São Paulo SP – 16ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
  • 1981 – São Paulo SP – Arte Pesquisa, no MAC/USP
  • 1981 – São Paulo SP – Arte Transcendente, no MAM/SP
  • 1982 – Guarujá SP – Coletiva, no Hotel Jequitimar
  • 1982 – Lisboa (Portugal) – Brasil 60 Anos de Arte Moderna: Coleção Gilberto Chateaubriand, no Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão
  • 1982 – Lisboa (Portugal) – Do Moderno ao Contemporâneo: Coleção Gilberto Chateaubriand, no Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão
  • 1982 – Londres (Reino Unido) – Brasil 60 Anos de Arte Moderna: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Barbican Art Gallery
  • 1982 – Nova York (Estados Unidos) – Woman of the Americas: emerging perspectives, na Kouros Gallery/Center for Interamerican Relations
  • 1983 – Nova York (Estados Unidos) – Coletiva, na Mary-Anne Martin Fine Arts
  • 1983 – Rio de Janeiro RJ – 13 Artistas/13 Obras, no Thomas Cohn Arte Contemporânea
  • 1984 – Londres (Inglaterra) – Portrait of Country: brazilian modern art from the Gilberto Chateaubriand collection, na Barbican Art Gallery
  • 1984 – São Paulo SP – 15º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1984 – São Paulo SP – Coleção Gilberto Chateaubriand: retrato e auto-retrato da arte brasileira, no MAM/SP
  • 1984 – São Paulo SP – Geometria 84, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte
  • 1984 – São Paulo SP – Pequenos Formatos, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte
  • 1984 – São Paulo SP – Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
  • 1985 – Belo Horizonte MG – Geometria Hoje, no MAP
  • 1985 – Penápolis SP – 6º Salão de Artes Plásticas da Noroeste, na Fundação Educacional de Penápolis. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Penápolis
  • 1985 – Rio de Janeiro RJ – 8º Salão Nacional de Artes Plásticas – Atitudes Contemporâneas: A Arte e Seus Materiais, na Galeria Sérgio Milliet/Funarte
  • 1985 – Rio de Janeiro RJ – Caligrafias e Escrituras, na Galeria Sérgio Milliet/Funarte
  • 1985 – São Paulo SP – Desenho nos Anos 60, na Pinacoteca do Estado
  • 1985 – São Paulo SP – Destaques da Arte Contemporânea Brasileira, no MAM/SP
  • 1985 – São Paulo SP – Exposição do 2º Leilão de Arte Pró-Tuca, no Hotel Maksoud Plaza
  • 1985 – São Paulo SP – Tendências do Livro de Artista no Brasil, no CCSP
  • 1986 – Porto Alegre RS – Caminhos do Desenho Brasileiro, no Margs
  • 1986 – Rio de Janeiro RJ – JK e os Anos 50: uma visão da cultura e do cotidiano, na Galeria Investiarte
  • 1986 – São Paulo SP – A Nova Dimensão do Objeto, no MAC/USP
  • 1987 – Mainz (Alemanha) – Aspekte Visueller Poesie und Visueller Musik, no Gutemberg Museum
  • 1987 – Paris (França) – Modernidade: arte brasileira do século XX, no Musée d’Art Moderne de La Ville de Paris
  • 1987 – Rio de Janeiro RJ – Fórum de Ciência e Cultura, Arte e Palavra, na UFRJ
  • 1987 – Rio de Janeiro RJ – Algumas Mulheres, na Galeria de Arte Ipanema
  • 1987 – São Paulo SP – 18º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1987 – São Paulo SP – O Ofício da Arte: pintura, no Sesc
  • 1987 – São Paulo SP – Palavra Imágica, no MAC/USP

EXPOSIÇÕES PÓSTUMAS

  • 1988 – Rio de Janeiro RJ – 2ª Abstração Geométrica, na Funarte
  • 1988 – Rio de Janeiro RJ – Mira Schendel, na Galeria Sérgio Milliet/Funarte
  • 1988 – São Paulo SP – 63/66 Figura e Objeto, na Galeria Millan
  • 1988 – São Paulo SP – Cem Desenhos Selecionados, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte
  • 1988 – São Paulo SP – MAC 25 anos: destaques da coleção inicial, no MAC/USP
  • 1988 – São Paulo SP – Modernidade: arte brasileira do século XX, no MAM/SP
  • 1989 – Estocolmo (Suécia) – Art in Latin America: the modern era 1820 – 1980, no Moderna Museet
  • 1989 – Estocolmo (Suécia) – Jord och Frieht Latinamerikansk Konst 1830-1970, no National Museum och Modera Museet
  • 1989 – Londres (Inglaterra) – Art in Latin America: the modern era 1820-1980, na Hayward Gallery
  • 1989 – Nova York (Estados Unidos) – The Image of Thinking in Visual Poetry, no Guggenheim Museum
  • 1989 – Rio de Janeiro RJ – Geometria sem Manifesto, no Gabinete de Arte Cleide Wanderley
  • 1989 – São Paulo SP – 20ª Bienal Internacional de São Paulo – Efeito Bienal, 1954-1963, na Fundação Bienal
  • 1989 – São Paulo SP – Gesto e Estrutura, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
  • 1989 – São Paulo SP – Individual, na Livraria Letraviva
  • 1989 – São Paulo SP – Individual, no MAC/USP
  • 1989 – São Paulo SP – Mira Schendel. Desenhos e objetos/Cadernos, gravuras e xerox, na Paulo Figueiredo Galeria de Arte e no Espaço Fogo Paulista
  • 1990 – Chicago (Estados Unidos) – Brazil: crossroads of modern art, na Randolph Gallery
  • 1990 – Chicago (Estados Unidos) – Expressões Singulares da Arte Brasileira, no Chicago Cultural Center
  • 1990 – Madri (Espanha) – Art in Latin America: the modern era 1820-1980, no Palacio Velázquez
  • 1990 – São Paulo SP – Coerência – Transformação, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
  • 1990 – São Paulo SP – Espirais, na Miriam Mamber Galeria de Arte
  • 1990 – São Paulo SP – Mira Schendel, no MAC/USP
  • 1991 – Belo Horizonte MG – Dois Retratos da Arte (1991 : Belo Horizonte, MG) – Museu de Arte da Pampulha (Belo Horizonte, MG)
  • 1991 – Belo Horizonte MG – Dois Retratos da Arte, no MAP
  • 1991 – Brasília DF – Dois Retratos da Arte (1991 : Brasília, DF) – Museu Histórico e Diplomático – Palácio Itamaraty (Rio de Janeiro, RJ)
  • 1991 – Brasília DF – Dois Retratos da Arte, no Palácio Itamaraty
  • 1991 – Curitiba PR – Dois Retratos da Arte (1991 : Curitiba, PR) – Fundação Cultural de Curitiba. Solar do Barão (Curitiba, PR)
  • 1991 – Curitiba PR – Dois Retratos da Arte, na Fundação Cultural
  • 1991 – Estocolmo (Suécia) – Viva Brasil Viva, no Kulturhuset, Konstavdelningen och Liljevalchs Konsthall
  • 1991 – Porto Alegre RS – Dois Retratos da Arte, no Margs
  • 1991 – Recife PE – Dois Retratos da Arte, no Museu do Estado de Pernambuco
  • 1991 – Rio de Janeiro RJ – Dois Retratos da Arte, no MAM/RJ
  • 1991 – Rio de Janeiro RJ – Mário Pedrosa, Arte, Revolução, Reflexão, no CCBB
  • 1991 – Salvador BA – Dois Retratos da Arte, no Museu de Arte da Bahia
  • 1991 – São Paulo SP – Dois Retratos da Arte, no MAC/USP
  • 1992 – Campinas SP – Premiados nos Salões de Arte Contemporânea de Campinas, no MACC
  • 1992 – Paris (França) – Latin American Artists of the Twentieth Century, no Centre Georges Pompidou
  • 1992 – Poços de Caldas MG – Arte Moderna Brasileira: acervo do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, na Casa de Cultura de Poços de Caldas
  • 1992 – Porto Alegre RS – Mário Pedrosa, Arte, Revolução, Reflexão, no Centro Municipal de Cultura
  • 1992 – Rio de Janeiro RJ – 1º A Caminho de Niterói: Coleção João Sattamini, no Paço Imperial
  • 1992 – Rio de Janeiro RJ – Natureza: quatro séculos de arte no Brasil, no CCBB
  • 1992 – São Paulo SP – Branco Dominante, na Galeria de Arte São Paulo
  • 1992 – São Paulo SP – Mira Schendel, na Domani Gastronomia
  • 1992 – São Paulo SP – Mira Schendel: retrospectiva, na Dan Galeria
  • 1992 – Sevilha (Espanha) – Latin American Artists of the Twentieth Century, na Estación Plaza de Armas
  • 1993 – Colônia (Alemanha) – Latin American Artists of the Twentieth Century, no Kunsthalle Cologne
  • 1993 – Nova York (Estados Unidos) – Latin American Artists of the Twentieth Century, no MoMA
  • 1993 – Rio de Janeiro RJ – A Rarefação dos Sentidos: coleção João Sattamini – anos 70, na EAV/Parque Lage
  • 1993 – Rio de Janeiro RJ – Brasil, 100 Anos de Arte Moderna, no MNBA
  • 1993 – São Paulo SP – A Arte Brasileira no Mundo, uma Trajetória: 24 artistas brasileiros, na Dan Galeria
  • 1993 – São Paulo SP – O Desenho Moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Galeria de Arte do Sesi
  • 1993 – São Paulo SP – Obras para Ilustração do Suplemento Literário: 1956-1967, no MAM/SP
  • 1993 – Veneza, Milão, Florença e Roma (Itália) – Brasil: Segni d’Arte, na Fondazione Scientífica Querini Stampalia, na Biblioteca Nazionale Braidense, na Biblioteca Nazionale e no Centro de Estudos Brasileiros
  • 1993 – Washington D. C. (Estados Unidos) – Ultramodern: the art of contemporary Brazil, no National Museum of Women in the Arts
  • 1994 – Niterói RJ – Entretexto, na UFF
  • 1994 – Rio de Janeiro RJ – Livro-Objeto: a fronteira dos vazios, no CCBB
  • 1994 – Rio de Janeiro RJ – O Desenho Moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateubriand, no MAM/RJ
  • 1994 – Rio de Janeiro RJ – Preto no Branco e/ou…: desenhos, na EAV/Parque Lage
  • 1994 – São Paulo SP – 22ª Bienal Internacional de São Paulo – sala especial Mira Schendel, na Fundação Bienal
  • 1994 – São Paulo SP – Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal
  • 1994 – São Paulo SP – Mais ou Menos Letras, no MAC/USP
  • 1994 – São Paulo SP – Mira Schendel, na Galeria Camargo Vilaça
  • 1995 – Curitiba PR – 11ª Mostra da Gravura Cidade de Curitiba, na Fundação Cultural de Curitiba
  • 1995 – Curitiba PR – Mostra da Gravura Cidade de Curitiba (11. : 1995 : Curitiba, PR) – Fundação Cultural de Curitiba. Solar do Barão (Curitiba, PR)
  • 1995 – Denver (Estados Unidos) – Latin American Women Artists 1915 – 1995 (1995 : Denver, Estados Unidos) – Denver Art Museum (Denver, Estados Unidos)
  • 1995 – Denver (Estados Unidos) – Latin American Women Artists 1915-1995, no Denver Art Museum
  • 1995 – Londrina PR – Arte Brasileira: confrontos e contrastes, no Pavilhão Internacional Octávio Cesário Pereira Júnior/UEL
  • 1995 – Milwaukee (Estados Unidos) – Latin American Women Artists 1915-1995, no Milwaukee Art Museum
  • 1995 – Nova York (Estados Unidos) – Art from Brazil in New York, na Galeria Lelong/The Drawing Center
  • 1995 – Phoenix (Estados Unidos) – Latin American Women Artists 1915-1995, no Phoenix Art Museum
  • 1995 – São Paulo SP – Entre o Desenho e a Escultura, no MAM/SP
  • 1995 – São Paulo SP – Experiências em Papel, no MAC/USP
  • 1995 – São Paulo SP – Livro-Objeto: a fronteira dos vazios, no MAM/SP
  • 1995 – São Paulo SP – O Desenho em São Paulo: 1956-1995, na Galeria Nara Roesler
  • 1996 – Belo Horizonte MG – Influência Poética: dez desenhistas contemporâneos, Amilcar de Castro e Mira Schendel, no Palácio das Artes
  • 1996 – Boston (Estados Unidos) – Inside the Visible, no Institute of Contemporary Art
  • 1996 – Kortrijk (Bélgica) – Inside the Visible, na Kanaal Foundation
  • 1996 – Londres (Inglaterra) – Inside the Visible, na Whitechapel Art Gallery
  • 1996 – Miami (Estados Unidos) – Latin American Women Artists 1915 – 1995, no Center for the Fine Arts Miami Art Museum of Date
  • 1996 – Perth (Austrália) – Inside the Visible, na Art Gallery of Western Austrália
  • 1996 – Rio de Janeiro RJ – Influência Poética: dez desenhistas contemporâneos, Amilcar de Castro e Mira Schendel, no Paço Imperial
  • 1996 – São Paulo SP – A Linha Construindo a Forma, no MAM/SP
  • 1996 – São Paulo SP – Arte Brasileira: 50 anos de história no acervo MAC/USP: 1920-1970, no MAC/USP
  • 1996 – São Paulo SP – Ex Libris/Home Page, no Paço das Artes
  • 1996 – São Paulo SP – Mulheres Artistas no Acervo do MAC, no MAC/USP
  • 1996 – São Paulo SP – No Vazio do Mundo, na Galeria de Arte do Sesi
  • 1996 – São Paulo SP – O Mundo de Mario Schenberg, na Casa das Rosas
  • 1996 – Washington (Estados Unidos) – Inside the Visible, no National Museum of Women in the Art
  • 1996 – Washington D.C (Estados Unidos) – Latin American Women Artists 1915-1995, no National of Women in The Arts
  • 1997 – Rio de Janeiro RJ – Mira Schendel a Forma Volátil, no Centro de Artes Hélio Oiticica
  • 1997 – São Paulo SP – No Vazio do Mundo, na Galeria de Arte do Sesi
  • 1998 – Belo Horizonte MG – O Suporte da Palavra, no Itaú Cultural
  • 1998 – Niterói RJ – Espelho da Bienal, no MAC/Niterói
  • 1998 – Rio de Janeiro RJ – Arte Brasileira no Acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo: doações recentes 1996-1998, no CCBB
  • 1998 – São Paulo SP – 24ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
  • 1998 – São Paulo SP – Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, no MAM/SP
  • 1998 – São Paulo SP – O Colecionador (1998 : São Paulo, SP) – Museu de Arte Moderna (Ibirapuera, São Paulo, SP)
  • 1998 – São Paulo SP – O Moderno e o Contemporâneo na Arte Brasileira: Coleção Gilberto Chateaubriand – MAM/RJ, no Masp
  • 1998 – São Paulo SP – O Suporte da Palavra, no MAM/SP
  • 1998 – São Paulo SP – Teoria dos Valores, no MAM/SP
  • 1999 – Goiânia GO – 2ª Grande Coletiva da Arte Brasileira, na Galeria de Arte Marina Potrich
  • 1999 – Los Angeles (Estados Unidos) – The Experimental Exercise of Freedom: Lygia Clark, Gego, Mathias Goertiz, Hélio Oiticica, Mira Schendel, no Museum of Contemporary Art
  • 1999 – Rio de Janeiro RJ – Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leiner, no MAM/RJ
  • 1999 – Santa Mônica (Estados Unidos) – Waltercio Caldas, Cildo Meireles, Mira Schendel, Tunga, na Christopher Grimes Gallery
  • 2000 – Belo Horizonte MG – Investigações: A Gravura Brasileira: São ou Não São Gravuras, no Itaú Cultural
  • 2000 – Brasília DF – Investigações: A Gravura Brasileira: São ou Não São Gravuras, no Itaú Cultural
  • 2000 – Curitiba PR – 12ª Mostra da Gravura de Curitiba. Marcas do Corpo, Dobras da Alma
  • 2000 – Curitiba PR – Publicação da Coleção Brasil 500 Anos, na Fundação Cultural de Curitiba
  • 2000 – Lisboa (Portugal) – Século 20: arte do Brasil, no Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão
  • 2000 – Rio de Janeiro RJ – O Visível entre Parênteses – Mira Schendel, Sérgio de Camargo e Willys de Castro, no CCBB
  • 2000 – Rio de Janeiro RJ – Situações: arte brasileira anos 70, na Fundação Casa França-Brasil
  • 2000 – São Paulo SP – Arte Conceitual e Conceitualismos: anos 70 no acervo do MAC/USP, na Galeria de Arte do Sesi
  • 2000 – São Paulo SP – Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento. Arte Contemporânea, na Fundação Bienal
  • 2000 – São Paulo SP – O Papel da Arte, na Galeria de Arte do Sesi
  • 2001 – Oxford (Inglaterra) – Experiment Experiência: art in Brazil 1958-2000, no Museum of Modern Art
  • 2001 – Paris (França) – Mira Schendel, na Galerie Nationale du Jeu de Paume
  • 2001 – Porto Alegre RS – Coleção Liba e Rubem Knijnik: arte brasileira contemporânea, no Margs
  • 2001 – Rio de Janeiro RJ – Aquarela Brasileira, no Centro Cultural Light
  • 2001 – Rio de Janeiro RJ – Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no Paço Imperial
  • 2001 – Rio de Janeiro RJ – O Espírito de Nossa Época, no MAM/RJ
  • 2001 – São Paulo SP – A Permanência dos Gêneros Tradicionais da Arte: o retrato, a paisagem, a natureza-morta, no MAM/SP
  • 2001 – São Paulo SP – Espelho Cego: seleções de uma coleção contemporânea, no MAM/SP
  • 2001 – São Paulo SP – Mira Schendel e Franklin Cassaro, no MAM/SP
  • 2001 – São Paulo SP – Museu de Arte Brasileira: 40 anos, no MAB/Faap
  • 2001 – São Paulo SP – O Espírito de Nossa Época, no MAM/SP
  • 2001 – São Paulo SP – Trajetória da Luz na Arte Brasileira, no Itaú Cultural
  • 2002 – Fortaleza CE – Ceará Redescobre o Brasil, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
  • 2002 – Londrina PR – São ou Não São Gravuras?, no Museu de Arte de Londrina
  • 2002 – Niterói RJ – Acervo em Papel, no MAC/RJ
  • 2002 – Niterói RJ – Diálogo, Antagonismo e Replicação na Coleção Sattamini, no MAC/Niterói
  • 2002 – Rio de Janeiro RJ – Arte Brasileira na Coleção Fadel: da inquietação do moderno à autonomia da linguagem, no CCBB
  • 2002 – Rio de Janeiro RJ – Caminhos do Contemporâneo 1952-2002, no Paço Imperial
  • 2002 – Rio de Janeiro RJ – Mira Schendel, na Galeria Oscar Cruz
  • 2002 – Rio de Janeiro RJ – Paralelos: arte brasileira da segunda metade do século XX em contexto, Collección Cisneros, no MAM/RJ
  • 2002 – São Paulo SP – Arte Brasileira na Coleção Fadel: da inquietação do moderno à autonomia da linguagem, no CCBB
  • 2002 – São Paulo SP – Espelho Selvagem: arte moderna no Brasil da primeira metade do século XX, Coleção Nemirovsky, no MAM/SP
  • 2002 – São Paulo SP – Geométricos e Cinéticos, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
  • 2002 – São Paulo SP – Mapa do Agora: arte brasileira recente na Coleção João Sattamini do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, no Instituto Tomie Ohtake
  • 2002 – São Paulo SP – Mira Schendel, na Galeria André Millan
  • 2002 – São Paulo SP – Os Gêneros da Arte: a natureza-morta na arte contemporânea, MAM/SP
  • 2002 – São Paulo SP – Paralela, Galpão localizado na Avenida Matarazzo, 530
  • 2002 – São Paulo SP – Paralelos: arte brasileira da segunda metade do século XX em contexto, Colección Cisneros, no MAM/SP
  • 2003 – Brasília DF – Arte Brasileira na Coleção Fadel: da inquietação do moderno à autonomia da linguagem, noCCBB
  • 2003 – Buenos Aires (Argentina) – Geo-Metrias: abastracción geométrica latinoamericana en la Colección Cisneros, na Malba
  • 2003 – Madri (Espanha) – Arco/2003, no Parque Ferial Juan Carlos I
  • 2003 – Rio de Janeiro RJ – Projeto em Preto e Branco, no Silvia Cintra Galeria de Arte
  • 2003 – São Paulo SP – A Gravura Vai Bem, Obrigado: a gravura histórica e contemporânea brasileira, no Espaço Virgílio
  • 2003 – São Paulo SP – Arco 2003, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
  • 2003 – São Paulo SP – Construtivismo e a Forma como Roupa, MAM/SP
  • 2003 – São Paulo SP – MAC USP 40 Anos: interfaces contemporâneas, no MAC/USP
  • 2003 – São Paulo SP – Natureza Morta, no Espaço Cultural BM&F
  • 2003 – São Paulo SP – Tomie Ohtake na Trama Espiritual da Arte Brasileira, no Instituto Tomie Ohtake
  • 2003 – São Paulo SP – Um Difícil Momento de Equilíbrio, no MAM/SP
  • 2004 – Rio de Janeiro RJ – 30 Artistas, na Mercedes Viegas Escritório de Arte
  • 2004 – Rio de Janeiro RJ – Tomie Ohtake na Trama Espiritual da Arte Brasileira, no MNBA
  • 2004 – São Paulo SP – Conversa Contemporânea, na Gabinete de Arte Raquel Arnaud
  • 2004 – São Paulo SP – Gesto e Expressão: o abstracionismo informal nas coleções JP Morgan Chase e MAM, no MAM/SP
  • 2004 – São Paulo SP – Versão Brasileira, na Galeria Brito Cimino
  • 2004 – São Paulo SP – As Bienais: um olhar sobre a produção brasileira 1951/2002, na Galeria Bergamin
  • 2005 – Belo Horizonte MG – 40/80: uma mostra de arte brasileira na Léo Bahia Arte Contemporânea
  • 2005 – São Paulo SP – Através, ou a Geometria Corrompida, na Galeria Bergamin
  • 2005 – São Paulo SP – Trajetória/Trajetórias, no Gabinete de Arte Raquel Arnaud
  • 2005 – São Paulo SP – Artistas da Galeria Millan Antonio na 5º Bienal do Mercosul, na Galeria Millan Antonio.
  • 2007 – New York – USA – New Perspectives in Latin American Art, 1930–2006: Selections from a Decade of Acquisitions – MoMA
  • 2009 – New York – USA – Tangled Alphabets: León Ferrari and Mira Schendel – MoMA
  • 2009 – São Paulo – SP – “MIRA SCHENDEL – MONOTIPIAS” – Galeria Millan
  • 2009/2010 – Madri – Espanha – León Ferrari and Mira Schendel: The Frenzied Alphabet – Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía