Joaquim Tenreiro

BIOGRAFIA

Joaquim Albuquerque Tenreiro (Melo Guarda, Portugal 1906 – Itapira SP 1992). Designer, escultor, pintor, gravador e desenhista. Filho e neto de marceneiros, aos dois anos de idade muda-se para o Brasil com a família, fixando residência em Niterói, Rio de Janeiro. Retorna a Portugal em 1914, onde ajuda o pai a realizar trabalhos em madeira e inicia aulas de pintura. Volta a viver no Brasil entre 1925 e 1927. Em 1928, transfere-se definitivamente para o Rio de Janeiro, passando a freqüentar o curso de desenho do Liceu Literário Português e faz cursos no Liceu de Artes e Ofícios. Em 1931, integra o Núcleo Bernardelli, grupo criado em oposição ao ensino acadêmico da Escola Nacional de Belas Artes – Enba. Na década de 1940, dedica-se à pintura de retrato, de paisagem e de natureza-morta. Entre 1933 e 1943, trabalha como designer de móveis nas empresas Laubissh & Hirth, Leandro Martins e Francisco Gomes. Em 1942, realiza para a residência de Francisco Inácio Peixoto seu primeiro móvel moderno. Em 1943, monta sua primeira oficina, a Langenbach & Tenreiro e, alguns anos depois, inaugura duas lojas de móveis; primeiro no Rio de Janeiro e, posteriromente, em São Paulo. No final da década de 1960, Joaquim Tenreiro encerra as atividades na área da concepção e fabricação de móveis para dedicar-se, por mais 20 anos, exclusivamente às artes plásticas, principalmente à escultura. Em 1969, executa um painel para a Sinagoga Templo Sidon e, em 1974, dois painéis para o auditório do Senai, ambos na Tijuca.

NASCIMENTO / MORTE

1906 – Melo Guarda (Portugal) – 18 de abril
1992 – Itapira SP – 21 de junho

FORMAÇÃO

1929 – Rio de Janeiro RJ – Matricula-se no curso de desenho do Liceu Literário Português.

Joaquim Tenreiro – Sem Titulo – Escultura em madeira – 108 cm altura

CRONOLOGIA

Designer, escultor, pintor, gravador e desenhista

  • 1909/1914 – Niterói RJ – Reside pela primeira vez no Brasil com os pais
  • 1915/ca.1917 – Melo Guarda (Portugal) – Vive nessa cidade
  • 1918/1920 – Porto (Portugal) – Vive nessa cidade
  • 1928 – Rio de Janeiro RJ – Fixa residência
  • 1931 – Rio de Janeiro RJ – Integra o Núcleo Bernardelli
  • 1933/1943 – Rio de Janeiro RJ – Trabalha como designer nas firmas de móveis Laubish & Hirth, Leandro Martins e Francisco Gomes
  • 1947 – Rio de Janeiro RJ – Inaugura sua primeira loja
  • 1953 – São Paulo SP – Inaugura sua segunda loja
  • 1968 – Rio de Janeiro RJ – Encerra atividades comerciais e volta-se exclusivamente para as artes visuais
  • 1969 – Rio de Janeiro RJ – Realiza painel para a Sinagoga Templo Sidon
  • 1973 – Rio de Janeiro RJ – Recebe o título de Carioca Honorário
  • 1974 – Rio de Janeiro RJ – Realiza portada para a Capela Ecumênica da UERJ
  • 1975 – Rio de Janeiro RJ – Realiza painéis para o auditório do Senai
  • 1977 – Rio de Janeiro RJ – Recebe o Golfinho de Ouro, como destaque do ano em Artes Plásticas, do MIS/RJ
  • 1978 – São Paulo SP – Melhor Escultor do Ano, conferido pela Associação Paulista de Críticos de Artes – APCA

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

  • 1946 – Rio de Janeiro RJ – Primeira individual, no IAB/RJ
  • 1949 – São Paulo SP – Individual, na Galeria Domus
  • 1967 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Copacabana
  • 1970 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Bonino
  • 1971 – São Paulo SP – Individual, na Galeria Documenta
  • 1973 – São Paulo SP – Individual, no MAM/SP
  • 1975 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Bonino
  • 1978 – São Paulo SP – Individual, no MAM/SP
  • 1983 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Galeria Paulo Klabin
  • 1985 – Rio de Janeiro RJ – Individual, no Centro Empresarial do Rio de Janeiro
  • 1988 – Rio de Janeiro RJ – Individual, na Tríade Galeria
  • 1989 – São Paulo SP – Individual, na Galeria Millan

EXPOSIÇÕES COLETIVAS

  • 1941 – Rio de Janeiro RJ – Salão Nacional de Belas Artes/Divisão Moderna – medalha de bronze
  • 1944 – Rio de Janeiro RJ – 50º Salão Nacional de Belas Artes, no MNBA
  • 1945 – Rio de Janeiro RJ – Salão Nacional de Belas Artes/Divisão Moderna – medalha de prata
  • 1946 – Rio de Janeiro RJ – Os Pintores vão à Escola do Povo, na Enba
  • 1954 – Goiânia GO – Exposição do Congresso Nacional de Intelectuais
  • 1960 – Rio de Janeiro RJ – 9º Salão Nacional de Arte Moderna, no MAM/RJ – menção do júri em desenho
  • 1965 – São Paulo SP – 8ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
  • 1967 – Rio de Janeiro RJ – 3ª O Rosto e a Obra, na Galeria Ibeu Copacabana
  • 1971 – Rio de Janeiro RJ – 9ª Resumo de Arte JB, no MAM/RJ
  • 1972 – São Paulo SP – 4º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1972 – São Paulo SP – Arte Multiplicada Brasileira, na Multipla de Arte
  • 1973 – São Paulo SP – 5º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1974 – Rio de Janeiro RJ – O Mar, na Galeria Ibeu Copacabana
  • 1975 – São Paulo SP – 7º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1977 – Rio de Janeiro RJ – Retrospectiva, no MAM/RJ
  • 1978 – São Paulo SP – 10º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1979 – Rio de Janeiro RJ – Escultores Brasileiros, na Galeria Aktuell
  • 1981 – Rio de Janeiro RJ – Retrospectiva, no IAB/RJ
  • 1982 – São Paulo SP – Exposição Núcleo Bernardelli: arte brasileira nos anos 30 e 40, na Acervo Galeria de Arte
  • 1983 – Rio de Janeiro RJ – 4 Escultores Pintores, 4 Pintores Escultores, na Galeria Aktuell
  • 1983 – Rio de Janeiro RJ – Auto-Retratos Brasileiros, na Galeria de Arte Banerj
  • 1984 – Rio de Janeiro RJ – Madeira, Matéria de Arte, no MAM/RJ
  • 1984 – São Paulo SP – Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
  • 1988 – São Paulo SP – 19º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
  • 1991 – Rio de Janeiro RJ – Retrospectiva, no Rio Design Center

EXPOSIÇÕES PÓSTUMAS

  • 1992 – Rio de Janeiro RJ – 1ª A Caminho de Niterói: Coleção João Sattamini, no Paço Imperial
  • 1993 – Rio de Janeiro RJ – Brasil: 100 Anos de Arte Moderna, no MNBA
  • 1993 – São Paulo SP – O Desenho Moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateaubriand, na Galeria de Arte do Sesi
  • 1994 – Rio de Janeiro RJ – O Desenho Moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateubriand, no MAM/RJ
  • 1994 – São Paulo SP – Bienal Brasil Século XX, na Fundação Bienal
  • 1996 – Niterói RJ – Arte Contemporânea Brasileira na Coleção João Sattamini, no MAC/Niterói
  • 1997 – Niterói RJ – Entre Esculturas e Objetos, no MAC/Niterói
  • 1997 – São Paulo SP – Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, no Itaú Cultural
  • 1998 – Belo Horizonte MG – Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, no Itaú Cultural
  • 1998 – Brasília DF – Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, na Galeria Itaú Cultural
  • 1998 – Niterói RJ – Espelho da Bienal, no MAC/Niterói
  • 1998 – Niterói RJ – Individual, no MAC/Niterói
  • 1998 – Penápolis SP – Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX, na Galeria Itaú Cultural
  • 1998 – São Paulo SP – Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, no MAM/SP
  • 1998 – São Paulo SP – Múltiplos, na Valu Oria Galeria de Arte
  • 1999 – Rio de Janeiro RJ – Arte Construtiva no Brasil: Coleção Adolpho Leirner, no MAM/RJ
  • 1999 – São Paulo SP – Década de 50 e seus Envolvimentos, na Jo Slaviero Galeria de Arte
  • 2000 – Niterói RJ – Coleção Sattamini: dos materiais às diferenças internas, no MAC/Niterói
  • 2000 – Rio de Janeiro RJ – Quando o Brasil era Moderno: artes plásticas no Rio de Janeiro de 1905 a 1960, no Paço Imperial
  • 2000 – São Paulo SP – Brasil + 500 Mostra do Redescobrimento, na Fundação Bienal
  • 2000 – São Paulo SP – Escultura Brasileira: da Pinacoteca ao Jardim da Luz, na Pinacoteca do Estado
  • 2002 – Brasília DF – JK – Uma Aventura Estética, no Conjunto Cultural da Caixa
  • 2003 – São Paulo SP – A Arte Atrás da Arte: onde ficam e como viajam as obras de arte, no MAM/SP
  • 2003 – São Paulo SP – Individual, na Galeria de Arte Jô Slaviero
  • 2004 – Rio de Janeiro RJ – 30 Artistas, na Mercedes Viegas Escritório de Arte